Recebemos por e-mail um convite para participar de MBA pela FranklinCovey Business School (www.franklincovey.com.br) na cidade de Porto Alegre/RS.

Este MBA Executivo possui diversos diferenciais!

Este MBA está voltado às exigência do mercado moderno, com mais de 40 ferramentas práticas de gestão disponibilizadas aos participantes para utilização imediata no ambiente de trabalho. Também voltado às exigências do gestor moderno, ensinando princípios que o ajudarão a executar as prioridades de sua organização com mais equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

As aulas irão iniciar agora em Março / 09. Maiores detalhes podem ser conseguidos contactando a Sra. Lívia Falland (livia.falland@franklincovey.com.br).

Abaixo estamos apresentando o folder de apresentação deste MBA Executivo.

Categorias: 4-Gestão de Pessoas, Aprendizado Vivencial ao Ar Livre, Formação de Líderes, Qualidade de Vida

Antes de adquirimos conhecimento através de uma leitura, treinamento ou grupo de estudo, devemos nos preparar para “receber” e “aproveitar” esta gama infinita de informações. Afinal de contas estamos 24 horas aprendendo algo … estamos na era da informação / conhecimento!!

Existe uma diferença grande entre educar crianças / jovens e … repassar conhecimento para adultos!

Na seqüência, estaremos apresentando uma interpretação da “metacognição”, termo criado por John Hurley Flavell.

O caminho para uma aprendizagem eficaz consegue-se através do conhecimento:

  • De nós mesmos;
  • De nossa capacidade de aprender;
  • Do processo que nós utilizamos com sucesso no passado,e ;
  • Do nosso interesse e conhecimento do assunto que queremos aprender.

Por exemplo, pode ser fácil para você aprender Física, mas impossível aprender a jogar tênis, ou vice versa.
Toda aprendizagem, entretanto, é um processo que se estabelece em determinadas etapas.

Estas são quatro etapas para a aprendizagem.

Comece imprimindo este post e respondendo às perguntas.

Em seguida, planeje sua estratégia com suas respostas.

Comece com o seu passado: Qual é a sua experiência sobre como você aprende?

  • Você gostava de ler?
  • Você gostava de resolver problemas?
  • Você gostava de memorizar?
  • Você gostava de recitar?
  • Você gostava de interpretar?
  • Você gostava de falar em público?
  • Você sabia fazer resumo?
  • Você fazia perguntas sobre o que havia estudado?
  • Você fazia revisão?
  • Você tinha acesso a informações de várias fontes?
  • Você gostava de estudar sozinho ou em grupo?
  • Você precisava de várias sessões curtas de estudo, ou de uma sessão longa?

Transição do passado para o presente:

  • Quais são os seus hábitos de estudo?
  • Como estes hábitos evoluíram?
  • O que funcionou melhor? E pior?
  • Como você se expressou sobre o que aprendeu melhor? Através de um teste escrito, uma dissertação, uma entrevista?

Siga para o presente:

  • O quanto eu estou interessado neste assunto, no qual irei aprender?
  • Quanto tempo, eu quero levar para aprender sobre este assunto?
  • O que pode distrair a minha atenção?
  • As circunstâncias estão adequadas para o sucesso?
  • O que posso controlar, e o que está fora de meu controle?
  • Posso modificar estas condições para obter sucesso?
  • O que afeta a minha dedicação para aprender isto?
  • Possuo um planejamento? O meu planejamento leva em conta a minha experiência passada e o meu estilo de aprendizagem?

Considere o processo, o assunto em questão:

  • Qual é o cabeçalho? O título?
  • Quais são as palavras-chave que se destacam? Eu as entendo?
  • O que já sei sobre isto? Conheço assuntos correlatos?
  • Que tipo de recursos e informações me ajudarão?
  • Confiarei somente em uma fonte (por exemplo, um livro texto) para obter informação?
  • Terei que procurar fontes adicionais?
  • À medida que estudo, pergunto a mim mesmo se estou entendendo?
  • Devo ir mais rápido ou mais devagar?
  • Se não estou entendendo, pergunto qual o motivo?
  • Eu paro e faço um resumo?
  • Eu paro e pergunto se faz sentido?
  • Eu paro e avalio (concordo/discordo)?
  • Preciso somente de tempo para refletir e retomar mais tarde?
  • Preciso discutir o assunto com outros “estudantes” para poder processar a informações?
  • Preciso encontrar uma autoridade, tal qual um professor, uma bibliotecária, ou um perito no assunto?

Revisão Critica, ou seja, após utilizar os conhecimentos adquiridos:

  • O que fiz certo?
  • O que poderia fazer melhor?
  • O meu plano esta de acordo com a maneira como trabalho meus pontos positivos e negativos?
  • Escolhi as condições certas?
  • Eu as segui, fui disciplinado comigo mesmo?
  • Fui bem sucedido?
  • Comemorei o meu sucesso?
Categorias: 4-Gestão de Pessoas, Aprendizado Vivencial ao Ar Livre, Dica de Leitura, Momento de Reflexão, Qualidade de Vida, Treinamento e Desenvolvimento

 

Na semana passada, iniciamos os treinamentos na Santa Cruz Rodovias S.A. com a finalidade de convidar os colaboradores dos processos de Arrecadação e SOS (Resgate e Guincho) a fazer parte do novo escopo do Sistema de Gestão pela Qualidade!

Em dois dias de treinamento, com a participação de cerca de 90 colaboradores, re-apresentamos conceitos de qualidade, abordagem de processo e espírito de equipe!

Através de dinâmicas ao ar livre, utilizando-se da nossa metodologia AVAL – Aprendizado Vivencial ao Ar Livre conseguimos demonstrar o quanto é importante o trabalho de equipe, com o objetivo de atingir as necessidades do cliente principal desta organização, ou seja, o USUÁRIO da rodovia concedida!

Segue abaixo os conteúdos do referido treinamento:

Utilizamos dois filmes motivacionais, ao longo deste treinamento, que são os seguintes:

Nesta semana que se inicia, continuaremos estes treinamentos, agora com a equipe de SOS (Resgate e Guincho)!

Desejamos que todos os participantes aproveitem ao máximo estes momentos de treinamento, integração e principalmente de reflexão!

Categorias: 3-Gestão pela Qualidade, 4-Gestão de Pessoas, Aprendizado Vivencial ao Ar Livre, Formação de Líderes, Gestão por Processos, ISO 9001, Nossos Clientes
Nenhum comentário 9/09/2008 | Por: admin
Um dia com o Monge!

Recebi um e-mail do Portal Administradores, convidando para um encontro com James Hunter, autor do livro “O Monge e o Executivo”.

O encontro já possui dia marcado, é no dia 19 de setembro!

Maiores informações acessem o site: www.klatreinamentos.com.br/monge

Para as pessoas que tiverem a disponibilidade de tempo e recursos, será um encontro único!

Categorias: 4-Gestão de Pessoas, Aprendizado Vivencial ao Ar Livre, Formação de Líderes

Um dos maiores desafios, no meu ponto de vista, quando se inicia um projeto de implementação de um Sistema de Gestão pela Qualidade em uma empresa é conseguir a adesão de todos os colaboradores para com os diversos desafios que irão se apresentar ao longo desta jornada!

Na prática, busco no início do projeto, junto ao sócios da empresa o seu total comprometimento, explicando os ganhos e as vantagens que irão obter!

É muito importante definir o coordenador do projeto, ou seja, o profissional que irá ser o “elo de ligação” entre os sócios, os colaboradores e a consultoria. Este profissional têm que possuir alguns requisitos mínimos, conforme já mencionados em um post anterior. Sim … ele será o Representante da Direção, o “RD”!

Também, é muito importante compor um grupo de colaboradores que possuem na empresa função de liderança formalizada, ou seja, gerentes, encarregados / supervisores e às vezes “líderes de produção”. Este grupo de pessoas será o “Grupo Gestor” ou “Comitê Gestor”, pessoas que irão auxiliar o “RD” no planejamento e implementação das ações, em conjunto com a consultoria!

Vamos revisar os “ingredientes” desta “receita de sucesso”: temos o comprometimento dos sócios + definição de um coordenador do projeto, o “RD” + “Grupo ou Comitê Gestor” … percebo que falta um elemento muito importante, o envolvimento dos colaboradores / funcionários para com este projeto! De que forma conseguir este envolvimento?!

Normalmente, tento em cada projeto, estimular a empresa em “personalizar” o Sistema de Gestão pela Qualidade, fazendo com que saiam do tradicional “rumo a ISO 9000”, que particularmente, somente faz com que os objetivos principais não sejam alcançados! A “personalização” chega a sugerir que seja definido uma logomarca para o projeto, assim como um nome “chamativo”, por exemplo, atualmente estou realizando projetos em três empresas no qual os nomes dos projetos ficaram, assim:

  • Gráfica Jacuí Ltda. => SIGJA (Sistema Integrado de Gestão Jacuí)
  • Gráfica Odisséia Ltda. => SIGO (Sistema Integrado de Gestão Odisséia)
  • Otsuka Chemical do Brasil Ltda. => SGO (Sistema de Gestão Otsuka)

A criação da logomarca do projeto fica sob responsabilidade do “Grupo / Comitê Gestor” ou através de um concurso interno, junto aos colaboradores da empresa. Veja as logomarcas destas três empresas:

       

Também, em conjunto com o “RD” e “Grupo / Comitê Gestor”, planejamos um evento de “lançamento” do projeto, convidando todos os colaboradores para que tenham “PIC”, ou seja, Participação, Interesse e Colaboração para com este projeto!

Veja algumas imagens de um destes eventos, sendo que distribuímos as atividades com a participação dos sócios, “RD”, “Grupo / Comitê Gestor” e no final realizamos uma atividade de integração, uma dinâmica ao ar livre, uma amostra do nosso produto, o AVAL – Aprendizado Vivencial ao Ar Livre.

E vocês, em suas empresas, como garantem o “PIC” dos colaboradores para um projeto desafiador?

Aguardaremos os seus comentários!

Categorias: 3-Gestão pela Qualidade, Aprendizado Vivencial ao Ar Livre, ISO 9001, Nossos Clientes, PGQP

Título do livro: Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes

Autor: Covey, Stephen R.

Editora: Best Seller / Nova Cultural

Resumo do livro:

Stephen R. Covey acredita que vencer ou fracassar é resultado de sete hábitos. São eles que distinguem as pessoas felizes, saudáveis e bem-sucedidas das fracassadas ou daquelas que sacrificam o equilíbrio interior e a felicidade para alcançar êxito. Em “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes” estão contidos os princípios fundamentais da eficácia humana – sete hábitos básicos e primordiais que representam a interiorização dos princípios corretos, nos quais estão baseados o sucesso e a felicidade duradoura.

A indicação deste livro esta referenciada a uma das poucas pessoas que me orientou, e principalmente utilizo como referência para a vida pessoal e profissional, Jerônimo Lima, meu mestre! Tenho dois marcos de referência deste ser humano maravilhoso: o primeiro foi em 1990, quando tive a oportunidade de ser seu aluno em um curso de especialização em gestão de projetos pelo CREA/RS, a partir daquele momento, através da troca de informações, tornei-me seu discípulo! A segunda oportunidade foi em 2000, quando tivemos a chance de trabalharmos em um projeto junto a um cliente. Naquele momento ele me indicou este livro, ou melhor dizendo esta filosofia de vida, “a mudança a partir de novos hábitos”! A leitura, e principalmente a prática mudou completamente a minha vida!

O livro, é considerado um dos mais influentes do século XX no mundo dos negócios, está completando 15 milhões de exemplares em todo o mundo e ocupou as listas de mais vendidos durante oito anos consecutivos. Esta nova edição especial de aniversário traz prefácio assinado pelo autor sobre a importância dos 7 Hábitos na atualidade e respostas às perguntas mais comuns de seus leitores.

Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes baseia-se em hábitos que interiorizam princípios nos quais se baseiam o sucesso e a felicidade duradoura, numa combinação perfeita de visão, compreensão e experiência prática que caracterizam a ética do caráter.

Os 3 primeiros hábitos referem-se à liderança de cada pessoa consigo mesma, numa vitória particular: Seja pró-ativo implica que nós somos responsáveis por nossas vidas e nosso comportamento resulta de decisões tomadas, e não de condições externas. Comece com um objetivo em mente significa começar tendo uma compreensão clara do destino, saber para onde você está seguindo e dar os passos sempre na direção correta. Primeiro o mais importante traduz-se por organizar e executar conforme as prioridades.

Os 3 hábitos seguintes referem-se à liderança de uma pessoas em relação às demais, numa vitória pública: Pense em ganha-ganha é um estado de espírito que busca constantemente o benefício mútuo em todas as interações humanas. Procure primeiro compreender, depois ser compreendido é o princípio mais importante no campo das relações interpessoais, a chave para a comunicação eficaz. Crie sinergia é a atividade mais dinâmica de toda a vida, o verdadeiro teste e a manifestação de todos os outros hábitos vistos em conjunto.

O 7º e último hábito, Afine o Instrumento, refere-se à visão holística do crescimento pessoal integral, preservando e melhorando seu bem mais precioso – você mesmo -, renovando as 4 dimensões de sua quadrinidade: material, emocional, intelectual e espiritual.

Através desses 7 hábitos você poderá estabelecer uma rede de interdependência com as pessoas com as quais convive e trabalha, aumentando suas chances de sucesso.

A seguir apresentamos uma figura que mostra a inter-relação destes hábitos.

A partir da análise dos conceitos e práticas abordados neste livro, elaboramos, na Simples Soluções® um AVAL® – Aprendizado Vivencial ao Ar Livre que apresenta através de 7 técnicas como é possível transformar a nossa vida, utilizando-se das informações apresentadas nesta obra.

Maiores detalhes sobre como podemos auxiliar os seus colaboradores nesta caminhada permanente em busca de novos hábitos, acesse a nossa página inicial na internet e clique no banner do AVAL® – Aprendizado Vivencial ao Ar Livre.

Desejo a todos uma excelente leitura!

Categorias: 4-Gestão de Pessoas, Aprendizado Vivencial ao Ar Livre, Dica de Leitura, Programa 5 S


Título do livro: Teal – Treinamento Experiencial ao Ar Livre

Autor: Dinsmore, Paul Campbell

Editora: Senac RJ

Resumo do livro:

Este livro mostra por que o Treinamento Experiencial ao Ar Livre (Teal) se tornou um programa tão eficiente na preparação de executivos e gestores de empresas modernas para as intempéries do meio empresarial no século XXI, utilizando novas ferramentas científicas, principalmente das áreas de psicologia, pedagogia, antropologia e sociologia.

Comentários sobre a leitura do livro:

Há cerca de 16 anos atrás, mais precisamente em 1992, tive a minha primeira “experiência”, ou melhor dizendo “vivência” de um treinamento não convencional, ou seja, em ambiente que não tivesse 4 paredes e um teto. Inicialmente como qualquer ser humano “preso” a conceitos tradicionais de repasse de conhecimento através de um “quadro negro” e cadeiras universitárias, estava totalmente incrédulo. “Como eu poderia aprender algo através de jogos infantis” – pensava enquanto o professor mostrava técnicas simples, estimulando os participantes a “vivenciarem” através de dinâmicas em grupo conceitos de liderança e comunicação, por exemplo. Mesmo assim, relutando inicialmente, percebi aos poucos, participando das atividades que conseguia relacionar com fatos positivos e negativos da minha vida profissional e principalmente pessoal. E o mais importante que aquelas atividades realizadas iriam-me “marcar” para sempre em minhas atitudes e decisões do meu dia-a-dia.

Logo após constituir o meu próprio negócio, ou seja, a Simples Soluções®, percebi ao longo das atividades de consultoria e, principalmente, de aprendizado que existia um “vazio” entre a teoria e a prática no que se refere aos aspectos de mudança comportamental dos indivíduos. E que inicialmente era infrutífero tentar mudar o comportamento das pessoas, mas fazer com que a mudança partisse deles, ou seja, da pessoa seria o caminho mais adequado, a famosa mudança interna. Partindo desta análise, resolvi criar um produto, o AVAL® – Aprendizado Vivencial ao Ar Livre, utilizando os princípios do “mestre” Paul Campbel Disnmore, pioneiro no Brasil em utilizar estes conceitos em diversas organizações.

Em 2002 tive a oportunidade de ler este livro, no qual estou recomendando. Neste livro podemos encontrar todo o histórico, contanto onde e como surgiu essa técnica, considerada radical e revolucionária, que vem alterando a filosofia educacional nas organizações. Mostra por que o Treinamento Experiencial ao Ar Livre (Teal) se tornou um programa tão eficiente na preparação de executivos e gestores de empresas modernas para as intempéries do meio empresarial no século XXI, utilizando novas ferramentas científicas, principalmente das áreas de psicologia, pedagogia, antropologia e sociologia. Profissionais especializados apresentam os conceitos e os métodos utilizados nessa modalidade de aperfeiçoamento executivo. O livro traz, ainda, seis cases que ilustram o êxito com que algumas empresas que adotaram a metodologia expandiram seus negócios.

Desejo a todos uma excelente leitura, assim como convido logo após a conhecer o nosso produto AVAL® – Aprendizado Vivencial ao Ar Livre através do link que se encontra em nossa pagina inicial na internet.

Categorias: Aprendizado Vivencial ao Ar Livre, Dica de Leitura