grupo_trabalho1-150x150É possível trabalhar com e liderar as pessoas de todas as gerações de forma eficaz sem arrancar o seu cabelo?

Absolutamente, mesmo com a tão propagandeada geração Y mais recentemente.

As seguintes dez verdades sobre conflito de gerações podem ajudá-lo a ver o passado de estereótipos e se tornar um líder mais eficaz para as pessoas de todas as idades. Vamos olhar para cada uma com mais profundidade:

Verdade #1 – Todas as gerações têm valores semelhantes.

Muitas pessoas pensam que existem enormes diferenças de valores entre pessoas mais velhas e mais jovens. Entretanto, as diferentes gerações, na verdade têm valores bastante semelhantes. “Família” é o valor escolhido mais freqüentemente por pessoas de todas as gerações. Outros valores incluídos são realização, integridade, amor, competência, alegria, auto-respeito, sabedoria, equilíbrio e responsabilidade.

Leia mais clicando aqui »

Categorias: 4-Gestão de Pessoas, Buscando Talentos, Coaching, Dica de Leitura, Formação de Líderes, Gestão por Competências, Posts de Hélio Rocha, Retendo Talentos

passos-a-seguir-para-ser-um-excelente-profissional---_2_600_1785Pequenas palavras ou expressões têm o poder de mudar radicalmente o dia de alguém. Veja como isso pode melhorar o seu ambiente de trabalho.

Um profissional extraordinário revoluciona o modo como as coisas acontecem no ambiente de trabalho. Essa mudança começa a partir da atitude mais simples: a fala. Algumas expressões simples podem modificar a sua relação com equipe e empresa em geral. Usando as palavras certas você pode buscar novas soluções para problemas antigos, fazer a diferença no trabalho e desenvolver as suas ideias. Quer fazer uma enorme diferença no dia alguém? Confira algumas coisas que você deve dizer todos os dias aos seus empregados, colegas, familiares e amigos.

1. “A minha ideia é essa, alguém sugere algo diferente?”

Talvez você esteja no comando, mas isso não significa que é o mais inteligente e perspicaz na equipe. Para desenvolver bons projetos, o trabalho em equipe é essencial. Você precisa justificar suas decisões com lógica e não com autoridade. Faça com que todos compreendam os processos para que a ideia seja trabalhada em conjunto.

Leia mais clicando aqui »

Categorias: 4-Gestão de Pessoas, Coaching, Formação de Líderes, Posts de Gislaine Angelim Barbosa

feedback-sombra

Um dos instrumentos de gestão mais difundidos nas organizações, sem dúvidas, é o feedback. Mas será que os profissionais dão ao recurso do feedback uma atenção adequada?

Ao definir feedback como “o procedimento que consiste no provimento de informação a uma pessoa sobre o desempenho, conduta ou eventualidade executada por ela, objetivando reprimir, reorientar e/ou estimular uma ou mais ações determinadas, executadas anteriormente” em um artigo publicado há alguns anos, tentei transmitir as possibilidades desta ferramenta e esclarecê-las aos seus usuários.

Tenho entrevistado muitos profissionais de empresas dos mais variados segmentos para analisar como esse recurso tem sido utilizado e, para minha surpresa, poucos são aqueles que aplicam – de forma adequada – o famigerado feedback. Muitos utilizam essa ferramenta como uma forma de cobrança, de gerir e criar pressão, competitividade entre os funcionários. Mas esse, definitivamente, não é o objetivo deste instrumento.

O objetivo do feedback (para quem aplica) deve ser o de mostrar ao outro como ele é visto por nós, com a finalidade de maximizar seu desempenho ou de readequá-lo ao objetivo proposto por nós.

Leia mais clicando aqui »

Categorias: 4-Gestão de Pessoas, Coaching, Formação de Líderes, Posts de Gislaine Angelim Barbosa, Retendo Talentos

auto-conhecimentoAutoconhecimento é uma viagem para dentro. Uma viagem de você para você mesmo. Fazer essa viagem para dentro de nós mesmos é um tanto doloroso. Thales de Mileto, filósofo, matemático e sábio grego (450 a.C.) dizia que a coisa mais fácil do mundo é dar conselhos e a coisa mais difícil é o Autoconhecimento.

Por que devemos nos conhecer? O que perdemos se não nos conhecermos? São indagações que talvez você não faça, mas é imperioso que você se questione sobre isso, antes que você morra.

A forma como fomos educados na primeira infância, quando formamos em torno de 80% da nossa personalidade, foi muito castradora da nossa liberdade. Normalmente nossos pais diziam como devíamos fazer, como nos comportar, como devíamos falar. Havia um controle onde não nos era permitido agir, fazer e dizer o que queríamos. Com estas atitudes, nossos pais, professores, religiosos, parentes e vizinhos estavam nos manipulando, nos tornando em alguém que não era nós mesmos, afastando-nos de nossa essência.

Para suportar esse distanciamento de nós mesmos, fomos criando máscaras. Aprendemos a dissimular, mentir, não revelar sentimentos, enfim, cada vez mais nos afastando da verdade.

Se passarmos por esta vida sem nos conhecermos, passaremos por ela “batidos” como se diz popularmente. Não vamos tirar nenhum aprendizado dessa experiência humana que nos foi permitida. Não tem nenhum sentido liderarmos grandes carreiras, empreendimentos, projetos sociais se você não sabe quem você é.

Fomos educados para “fora”, para agradar os outros. Estamos sempre em busca da aprovação dos outros, dos pais, dos cônjuges, do chefe, do subordinado, dos amigos e esquecemos totalmente de nos validarmos. Esquecemos que cada um de nós é importante, mas nem mais e nem menos importante que o outro.

Segue uma sugestão: fique na frente do espelho olhando diretamente para seus olhos e diga: Eu (diga seu nome) sou importante! Repita a frase por 3 vezes de forma clara e objetiva e depois sinta as suas reações.

Paulo J. Caselani

E-mail: paulocaselani@hotmail.com

Palestrante e Instrutor de Cursos sobre Autoconhecimento Aplicado

(54) 9910-0023 – Caxias do Sul

www.axistreinamentos.com.br

Categorias: 4-Gestão de Pessoas, Coaching, Formação de Líderes, Gestão por Competências, Momento de Reflexão, Nossas Alianças Estratégicas, Posts de Paulo Caselani

decisoesPara especialistas, gestores esquecem que os profissionais se motivam de formas diferentes, o que pode gerar efeito contrário

O que toda empresa quer é profissionais motivados, animados e interessados em fazer seu melhor. Para isso, porém, é preciso saber estimular esse comportamento, oferecendo promoções, novos desafios e mais autonomia, por exemplo. O problema é que nem todo gestor sabe que, muitas vezes, ao invés de estar motivando ele pode estar desmotivando seus funcionários.

Pensando nisso, elaboramos uma lista com 10 maneiras erradas de motivar os funcionários. Contamos, para isso, com a ajuda de especialistas em gestão de carreira e motivação. Confira:

1. Os profissionais são únicos – “não existe motivação em massa”, explica o especialista em motivação, Roberto Recinella. Uma das maneiras erradas de motivar os profissionais é acreditar que o que motiva um motiva todos. Os líderes que não conhecem cada um dos membros de suas equipes podem cometer esse erro.

Leia mais clicando aqui »

Categorias: 4-Gestão de Pessoas, Coaching, Dica de Leitura, Formação de Líderes, Gestão de Carreira, Posts de Gislaine Angelim Barbosa

competencia

Quando estudamos sobre competências aprendemos, de forma bem simplista, que competência é o conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes. Se formos ao dicionário vamos verificar que a atitude é o modo de proceder, de agir, o comportamento. Assim sendo, podemos afirmar que a parte mais importante da competência está na nossa postura.

Quando as empresas elaboram os seus quadros de competências essências, aquelas que representam sua missão, princípios e valores, lá vemos uma série de anseios da organização em relação a seus colaboradores:

  • Capacidade empreendedora;
  • Foco em resultados;
  • Tomada de decisão;
  • Negociação;
  • Liderança;
  • Criatividade e tantas outras.

Mas, cabe uma pergunta importante: será que estas competências são realmente essenciais? Se considerarmos a atitude como princípio fundamental da competência, os comportamentos esperados não deveriam ser mais valorizados?

Evidente que precisamos de profissionais com foco em resultados, hábeis negociadores, criativos, empreendedores, que saibam trabalhar sob pressão, mas precisamos urgentemente de líderes com comportamentos que impactem mais significativamente nos negócios ou, pelo menos, dar às competências conotações mais acentuadas.

Deveríamos experimentar, em nossas empresas, gente capaz de ser:

Leia mais clicando aqui »

Categorias: 4-Gestão de Pessoas, Coaching, Dica de Leitura, Formação de Líderes, Gestão por Competências, Posts de Hélio Rocha
Nenhum comentário 24/02/2012 | Por: Gislaine A. Barbosa
Os 10 mandamentos de um bom profissional!

10 Mandamentos da QualidadeNeste “mundo corporativo”, às vezes, diante de tantas regras a serem seguidas para uma boa convivência, esquecemos-nos do básico. Diante disto, gostaríamos de lembrar, através de uma mensagem que esta há um bom tempo “girando” na internet.

Clique aqui e reflita sobre a mensagem.

Um bom final de semana à todos!

Gislaine Argelim Barbosa

Email: gislaine@simplessolucoes.com.br

Categorias: 3-Gestão pela Qualidade, 4-Gestão de Pessoas, Coaching, Dica de Leitura, Formação de Líderes, Momento de Reflexão, Nossas Alianças Estratégicas, Posts de Gislaine Angelim Barbosa, Psicologia Organizacional, Qualidade de Vida

profissionalizarUm congresso internacional de administração me fez ver que não existe no idioma inglês uma tradução para o termo brasileiro “profissionalização”. Isso indica que esse vocábulo de fácil trânsito não passa mesmo de uma confusão semântica, pois ao tentar explicar tudo acaba não tendo precisão. Senão vejamos.

Profissionalização é o processo pelo qual uma organização familiar ou tradicional:

  1. Assume práticas administrativas mais racionais, modernas e menos personalizadas;
  2. É o processo de integração de gerentes contratados e assalariados no meio de administradores familiares;
  3. É a adoção de determinado código de formação ou de conduta num grupo de trabalhadores (exemplo: artistas);
  4. É a substituição de métodos intuitivos por métodos impessoais e racionais;
  5. É a substituição de formas de contratação de trabalho arcaicas ou patriarcais por formas assalariadas.

Na empresa familiar, profissionalização implica em três pontos básicos:

  1. O sucesso em integrar profissionais familiares na Direção e na Gerência da Empresa;
  2. O sucesso em adotar práticas administrativas mais racionais;
  3. O sucesso em recorrer à consultoria e à assessoria externas para incorporar sistemas de trabalho já exitosos em empresas mais avançadas ou recomendadas nas universidades e nos centros de pesquisa.

Por mais acurado que seja o planejamento dessa profissionalização, os novos profissionais deverão ser integrados paulatinamente e com cuidado, sendo que cada erro é um reforço ao sistema anterior.

Leia mais clicando aqui »

Categorias: 1-Gestão Estratégica, 4-Gestão de Pessoas, Coaching, Empresa Familiar, Formação de Líderes, Gestão de Carreira, Planejamento Pessoal / Profissional, Posts de Sandra Regina Inácio

126437542851PC0pÉ triste ver o propulsor de uma empresa familiar com a visão da imortalidade. Não querem fazer processo sucessório, não querem se aposentar, não tiram férias, não tem lazer, seu corpo, coração e alma estão dentro da empresa.

Ela é o ar que ele respira e também sua vida.

Geralmente não delegam… pois têm a certeza que ninguém fará melhor que eles, também por isso não existe vida fora da empresa.

Quando perguntamos por que ele se “escraviza” dentro de sua empresa, a resposta é nós sabemos décor: “faço todo este sacrifício pela minha família, não é para mim e sim para eles”.

A resposta é sempre a mesma, mas também sabemos que a empresa na realidade é sua vida, sua alma… e também quando sua vida terminar, a empresa com certeza terminará com ele.

Leia mais clicando aqui »

Categorias: 1-Gestão Estratégica, 4-Gestão de Pessoas, Coaching, Empresa Familiar, Formação de Líderes, Gestão de Carreira, Momento de Reflexão, Nossas Alianças Estratégicas, Posts de Sandra Regina Inácio, Psicologia Organizacional

dreamstime_18113360-FormaçãoTenham o hábito de evidenciar quaisquer realizações especiais dos subordinados, até mesmo um simples gesto que vocês tenham observado de limpeza de um espaço que não era atribuição do funcionário. O pequeno gesto é importante, é comprometimento e ser proativo.

Lembrem-se também de observar os seus sucessos em sua jornada como lideranças. As suas vitórias.

Como vocês trabalham distante das lideranças superiores, é importante o envio de e-mail com repórter de acontecimentos bons, de ganhos com produtividade de funcionários, de economias realizadas. Resultados de pesquisas de opinião com clientes elogiando o bom serviço! Assim estarão alimentando a historia de sua gestão.

Comemorem as conquistas!

No grupo, tem pessoas que você sabe que não são muito produtivas? Gostariam de dar uma sacudida no moral e conseguir ter a equipe mais envolvida? Aqui estão umas idéias simples de como você é capaz de levar as pessoas a amar o que fazem.

Envolva-os na situação!

- Quando alguém sente que os seus pensamentos são valorizados elas vão ter responsabilidade sobre o  que eles estarão a sugerir para tentar realizar. Toda sugestão de funcionário deve ser valorizada, anotada, e se não colocada em pratica, devem dar o retorno informando os motivos e ressaltando que foi importante a contribuição.

Elas são as pessoas envolvidas mais diretamente nas atividades e terão pensado na melhoria dos processos, procedimentos e produtividade. A sensação de contribuir com algo fará com que elas amem o que fazem. E a sensação de estar contribuindo acontece quando a liderança dá a atenção ao que o funcionário apresenta e pratica o exercício do retorno:  >>>> POSITIVO OU NEGATIVO. Sempre tem que ter o retorno.

Façam saber que vocês se preocupam com as suas vidas fora da equipe ou com a sua situação presente. Conversar com eles sobre o dia a dia vai torná-los mais confortáveis para falar com você quando tiverem problemas.

Ouvir, ouvir e ouvir.

Mesmo que vocês pensem que dedicam todo o tempo para cada funcionário, ainda não é  suficiente, na visão deles. Quando uma pessoa vem até você com um problema dê-lhes a sua atenção completa. Seja solidário ouvindo.

Saiba encurtar conversas, pensando no monitoramento do seu tempo. Não atenda o telefone ou olhe para o seu relógio. Dê-lhes todo o tempo de que necessitam, nada é mais crucial do que aquela pessoa naquele momento.

Ao estimular as idéias dos funcionários, poderá acontecer de se ver envolvido com muitas idéias, aí é o momento de parar para refletir: será que tem tanta coisa errada ou estou com problema de gestão? Será que estou conseguindo classificar os problemas macros e micros e dar a eles o tratamento e atenção adequados?

Comemore e estimule

Comemore! Conquistas, objetivos, com sua equipe.  Você é capaz de reconhecê-los numa base individual através do envio de e-mails de agradecimento. Um pouco de reconhecimento no grande gripo é fantástico. Porém precisa ser bem dosado para não gerar insatisfações. Preocupem-se em elogiar sempre pessoas diferentes no grande grupo, cada semana é a vez de um. Se acontecer de não conseguir encaixar algum, este poder um funcionário que precise de treinamento.

É importante jogar jogos de construção de estímulos positivos nas reuniões semanais com a equipe e recompensá-los com alguns exemplos de ações boas no decorrer da semana.

Quem é que não gosta de ser reconhecido? Com esta pratica, exercitas o estímulo à capacidade de melhorar os processos de trabalho.

Ter alguma alegria

Não há nada mais produtivo que estimular  um pouco de alegria no ambiente de trabalho, basta ter a certeza de que não vai contra  as políticas da empresa, pois a do cliente é encontrar pessoas felizes, afinal estão ali para se divertir, num momento de lazer.

Logo você vai se descobrir rindo, sorrindo e compartilhando com tudo o que eles fazem!

Pensamento positivo, nada melhor que isso neste momento de arrancada de final de ano, onde o trabalho se multiplica, os problemas também e a necessidade de saber como lidar com eles é fundamental.

Fico à disposição de vocês!

Maria Francisca Reis – formação superior em Pedagogia e Técnico em Contabilidade, já atuou como gerente e consultora em diversas áreas de serviços, turismo e lazer.

E-mail: mfranreis@gmail.com

Categorias: 3-Gestão pela Qualidade, 4-Gestão de Pessoas, Coaching, Formação de Líderes, Momento de Reflexão, Nossas Alianças Estratégicas, Posts de Maria Francisca Reis, Retendo Talentos

« Posts anteriores