Sem títuloQuando o 5S foi criado no Japão no final de década de 50 não existiam computadores pessoais. Por conta disto, a prática de seus conceitos ficou limitada às coisas físicas e comportamentais. Apesar de algumas empresas pregarem a prática do 5S nos computadores, existe pouca ou nenhuma sistemática para tal; há pouca continuidade na abordagem e os resultados têm sido pífios e incapazes de formar uma cultura. Desta forma, resta a pergunta: Como fazer o 5S nos computadores?

À medida que avançamos no tempo, o ser humano convive e depende cada vez mais dos meios eletrônicos. No entanto, poucas empresas e pessoas adequam a prática de 5S aos seus computadores. A conseqüência é o acúmulo desenfreado de memória dos computadores e servidores e a própria perda de tempo na localização de um arquivo.

Algumas iniciativas têm sido criadas pelas áreas de Tecnologia e Informação (T&I), como a limitação de memória da caixa de correios eletrônicos e a exclusão de arquivos não manuseados há um certo tempo. O problema é a necessidade da flexibilização para diversas situações que estas regras não se enquadram. Além do mais, a prática do 5S nos computadores não pode se limitar apenas à eliminação de arquivos obsoletos, mas deve se estender à organização dos arquivos. Para estas duas vantagens, a prática dependerá mais uma vez de uma mudança comportamental e não apenas de regras oriundas de um determinado departamento.

Leia mais clicando aqui »

Categorias: Dica de Leitura, Momento de Reflexão, Posts de Hélio Rocha, Programa 5 S, Programa 8 S

ChacrinhaPara aqueles que nasceram no século passado, irão se lembrar desta frase: “Quem não se comunica, se trumbica!” Dita peloChacrinha, o Abelardo Barbosa.

Hoje, participei de um evento interno de um cliente, com o propósito de melhorar a comunicação interna, um “Café com a Diretoria”, reunindo todos os colaboradores e obviamente a Diretoria desta empresa! Às vezes nos esforçamos em nossa vida empresarial em melhorar a comunicação com os clientes … e esquecemos dos colaboradores … dos funcionários!

A seguir, disponibilizo para vocês, um exemplo de projeto para estimular a comunicação interna junto aos colaboradores:

Projeto Cafe com a Diretoria

Convido-os a ler um artigo sobre o processo de comunicação interna na empresa Thyssen Krupp Bilstein Brasil, clique aqui.

E para finalizar, também existe um riquissímo trabalhos realizado pela Sra. Sthepani Paula sobre Plano de Comunicação desenvolvido na empresa Aethra Sistemas Automotivos S/A, clique aqui para acessá-lo.

E você, Gestor, esta se comunicando ou se trumbicando em sua empresa?

Para aqueles que nasceram no século passado, irão se lembrar desta frase: “Quem não se comunica, se trumbica!” Dita peloChacrinha, o Abelardo Barbosa.

Hoje, participei de um evento interno de um cliente em Porto Alegre, a Instramed, com o propósito de melhorar a comunicação interna, um “Café com a Diretoria”, reunindo todos os colaboradores e obviamente a Diretoria desta empresa! Às vezes nos esforçamos em nossa vida empresarial em melhor a comunicação com os clientes … e esquecemos dos colaboradores … dos funcionários!

A seguir, disponibilizo para vocês, um exemplo de projeto para estimular a comunicação interna junto aos colaboradores:

Projeto Café com a Diretoria

Também, convido-os a visitar a página da empresa Thyssen Krupp Bilstein Brasil, um belo “benchmarking” no que se refere a projeto de comunicação interna

E você, Gestor, esta se comunicando ou se trumbicando em sua empresa?

Categorias: 3-Gestão pela Qualidade, 4-Gestão de Pessoas, Dica de Leitura, Endomarketing, Momento de Reflexão, PGQP, Pesquisa de Clima Organizacional, Posts de Hélio Rocha, Programa de Idéias

not_creche_governoA proposta permite que a exigência seja suprida por meio de convênios com creches, pré-escolas e escolas, públicas ou privadas, desde que próximas aos locais de trabalho ou por meio de reembolso, caso seja solicitado pelo empregado.

As empresas com pelo menos 100 funcionários poderão ser obrigadas a manter berçário ou creche para os filhos de até cinco anos dos empregados. É o que propõe o Projeto de Lei do Senado (PLS) 236/2011, da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), que tramita na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), onde aguarda relatório do senador Eduardo Suplicy (PT-SP).

Leia mais clicando aqui »

Categorias: 3-Gestão pela Qualidade, 4-Gestão de Pessoas, Endomarketing, Momento de Reflexão, Pesquisa de Clima Organizacional, Posts de Hélio Rocha, Retendo Talentos

educao1_1A educação de qualidade em todos os níveis – básico, superior e profissional – é fundamental para a competitividade das empresas brasileiras. A conclusão é da pesquisa feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com 275 líderes empresariais de todo o país entre 23 de novembro e 2 de dezembro deste ano.

Em pesquisas realizadas pela CNI sobre problemas que afetam a indústria, essa foi a primeira vez que os empresários apontaram a educação como o principal fator para o aumento da competitividade brasileira. Com nota média de 7,08, a educação ficou à frente de outros quesitos, como tributação (nota 6,6), infraestrutura (6,0) e inovação (5,29).

Ao colocar a educação em primeiro lugar, a pesquisa confirma o consenso dos debates promovidos pela CNI com líderes empresariais e acadêmicos para a construção do Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022. O documento, que deve ser concluído em março, mostrará qual o caminho que a indústria, o Brasil e o mundo percorrerão na próxima década. Apontará as tendências da economia internacional e as condições necessárias para que a indústria brasileira ganhe musculatura e chegue a 2022, ano em que se comemora o bicentenário da Independência, forte, dinâmica e com elevada participação do mercado internacional.

Conforme o diretor de Políticas e Estratégias da CNI, José Augusto Fernandes, o alvo do Mapa 2013-2022 são os fatores que afetam a competitividade da indústria brasileira. Entre esses fatores estão a qualidade da educação, a inovação, o desenvolvimento tecnológico, as condições das estradas, dos portos e aeroportos e os custos dos financiamentos.

Leia mais clicando aqui »

Categorias: 1-Gestão Estratégica, Análise macroeconômico, Elaboração de cenários, Momento de Reflexão, Posts de Hélio Rocha, Tendências

auto-conhecimentoAutoconhecimento é uma viagem para dentro. Uma viagem de você para você mesmo. Fazer essa viagem para dentro de nós mesmos é um tanto doloroso. Thales de Mileto, filósofo, matemático e sábio grego (450 a.C.) dizia que a coisa mais fácil do mundo é dar conselhos e a coisa mais difícil é o Autoconhecimento.

Por que devemos nos conhecer? O que perdemos se não nos conhecermos? São indagações que talvez você não faça, mas é imperioso que você se questione sobre isso, antes que você morra.

A forma como fomos educados na primeira infância, quando formamos em torno de 80% da nossa personalidade, foi muito castradora da nossa liberdade. Normalmente nossos pais diziam como devíamos fazer, como nos comportar, como devíamos falar. Havia um controle onde não nos era permitido agir, fazer e dizer o que queríamos. Com estas atitudes, nossos pais, professores, religiosos, parentes e vizinhos estavam nos manipulando, nos tornando em alguém que não era nós mesmos, afastando-nos de nossa essência.

Para suportar esse distanciamento de nós mesmos, fomos criando máscaras. Aprendemos a dissimular, mentir, não revelar sentimentos, enfim, cada vez mais nos afastando da verdade.

Se passarmos por esta vida sem nos conhecermos, passaremos por ela “batidos” como se diz popularmente. Não vamos tirar nenhum aprendizado dessa experiência humana que nos foi permitida. Não tem nenhum sentido liderarmos grandes carreiras, empreendimentos, projetos sociais se você não sabe quem você é.

Fomos educados para “fora”, para agradar os outros. Estamos sempre em busca da aprovação dos outros, dos pais, dos cônjuges, do chefe, do subordinado, dos amigos e esquecemos totalmente de nos validarmos. Esquecemos que cada um de nós é importante, mas nem mais e nem menos importante que o outro.

Segue uma sugestão: fique na frente do espelho olhando diretamente para seus olhos e diga: Eu (diga seu nome) sou importante! Repita a frase por 3 vezes de forma clara e objetiva e depois sinta as suas reações.

Paulo J. Caselani

E-mail: paulocaselani@hotmail.com

Palestrante e Instrutor de Cursos sobre Autoconhecimento Aplicado

(54) 9910-0023 – Caxias do Sul

www.axistreinamentos.com.br

Categorias: 4-Gestão de Pessoas, Coaching, Formação de Líderes, Gestão por Competências, Momento de Reflexão, Nossas Alianças Estratégicas, Posts de Paulo Caselani

Um vídeo feito para divulgar os resultados de uma pesquisa sobre a relação da geração Y com o trabalho é um dos mais compartilhados da semana. All Work and All Play (Todos Trabalham e Todos Brincam, em tradução livre) mistura imagens de filmes, infográficos e uma trilha sonora cuidadosamente escolhida para mostrar dados que levam a uma conclusão que, no fundo, a gente já sabe: só se é feliz trabalhando com o que se ama.

O vídeo é o resultado de diversos estudos realizados pela Box1824, uma empresa de pesquisas, especializada em tendências de comportamento e consumo.

Confira o vídeo clicando aqui.

Categorias: 4-Gestão de Pessoas, Buscando Talentos, Dica de Filme, Momento de Reflexão, Posts de Gislaine Angelim Barbosa, Qualidade de Vida, Retendo Talentos

Capturar

Dando continuidade ao post que publicamos sobre o artigo escrito pela Arquiteta Mirela Ampezan, no sábado passado (01 de junho de 2012), o jornal O Florense publicou uma reportagem sobre a força dos migrantes no município de Flores da Cunha / RS. Os dados desta reportagem foram baseados nos últimos resultados do IBGE, no qual comentam que 38,7% da população não são naturais de Flores da Cunha. A ampliação do número de habitantes foi de 15% na última década.

Esta reportagem somente vem confirmar as minhas suspeitas, pois também somos migrantes, sendo que uma das nossas filhas, de 3 anos, é natural de Flores da Cunha e estamos há 6 anos neste município!

Clique aqui e acesse a reportagem na íntegra.

E você que faz parte dos 38,7% deste município, quais são os motivos que fazem com que considere Flores da Cunha uma dos melhores lugares para viver?

Aguardamos os seus comentários!

Categorias: Momento de Reflexão, Posts de Hélio Rocha, Qualidade de Vida

02022012122856stressHoje, recebi um e-mail, através do Linkedin, de uma das minhas de amigas, me convidando a participar de uma pesquisa que faz parte do seu trabalho de mestrado. O nome desta profissional é Sra. Vanessa Carneiro, segue abaixo conteúdo na íntegra deste e-mail, com o link para fazermos parte deste trabalho.

Auditores Externos que não são stressados, não precisam fazer parte desta pesquisa (brincadeira .. de mau gosto).

Boa tarde Hélio, tudo bem?

Desculpe se te incomodo, mas é que preciso muito de sua ajuda. Sou Gerente de Auditoria Interna da Fiat Industrial, e estou na fase final para conclusão da minha pesquisa no Mestrado. Para isso, gostaria de poder contar com a sua valiosa colaboração em responder o questionário abaixo.

O tema da minha pesquisa será “Qualidade de Vida no Trabalho dos Auditores Internos e Externos”. O questionário é totalmente anônimo e nenhuma pessoa terá acesso às suas respostas. O intuito da pesquisa não será o de comparar auditores de uma empresa com auditores de outra empresa e sim avaliar o nível de qualidade de vida no trabalho e estresse, percebido pelas duas categorias profissionais.

Abaixo o link para pesquisa:

http://www.EnqueteFacil.com/RespWeb/Qn.aspx?EID=1195590

O tempo estimado para conclusão do questionário é de 20 minutos.

Gostaria ainda de solicitar que se possível, encaminhe esse e.mail aos seus contatos auditores, para que possa obter o maior numero de respostas possíveis. Recebi um numero de respostas consideráveis para os auditores internos, quanto ainda preciso de um numero maior de auditores externos.

Esse questionário somente deve ser preenchido por pessoas que estejam exercendo atividades de auditoria interna ou externa, independente do nível hierárquico.
O prazo que possuo para concluir esta pesquisa é dia 13/06/2012, portanto se puder responder antes dessa data, será de muita valia.

Agradeço imensamente sua ajuda, e se puder me enviar um e.mail quando tiver terminado de responder a pesquisa agradeço muito também.

Abs,

Vanessa Carneiro

Categorias: 3-Gestão pela Qualidade, Formação de Auditores Internos, ISO 19011, Momento de Reflexão, Organismos Certificadores, Posts de Hélio Rocha, Qualidade de Vida, Voluntariado

Capturar

Dando continuidade sobre o evento Planejando Flores da Cunha no qual comentei anteriormente, esta semana recebemos um artigo elaborado pela minha amiga, sim aquela que no inicio do texto do post anterior, participou junto comigo deste evento. Seu nome é Mirela Ampezzan, arquiteta formada na UFRGS, natural de Antônio Prado / RS mas morando com a sua linda família a cerca de 8 anos em Flores da Cunha / RS.

Segue abaixo o seu texto:

PORQUE MORO EM FLORES?

Sou arquiteta e moro com a minha família, em Flores da Cunha / RS faz 8 anos. Por várias vezes pensei em morar em Caxias do Sul / RS porque a maioria dos meus clientes é de lá e seria muito mais prático para mim morar na cidade vizinha.

Mas optei por “Flores”. Por quê?  Pelas vantagens de cidade pequena: o custo de vida é menor, as distâncias são menores, as pessoas se conhecem mais, as crianças tem mais autonomia, ainda podem andar sozinhas com relativa segurança. Também não é tão pequena quanto Nova Pádua / RS ou Nova Roma / RS, que oferece uma quantidade de serviços reduzida. “Flores” tem uma rede de serviços básicos razoáveis como hospital, cursos, escolas, lojas, etc. e a qualidade de vida em geral é muito boa!

Quando eu participo deste tipo de encontro, planejando a cidade para o futuro, eu penso no meu futuro aqui. Acho que brevemente terei que me mudar. Vejo as pessoas que estão lá, sinceramente, com boas intenções, querendo que a cidade cresça. Mas me pergunto sobre esta idéia de crescer indefinidamente. Vejo o grupo que elaborou as propostas do desenvolvimento sócio econômico pensando em trazer mais indústrias, com incentivos, etc. Leia mais clicando aqui »

Categorias: 1-Gestão Estratégica, Análise macroeconômico, Elaboração de cenários, Momento de Reflexão, Pensamento Sistêmico, Planejamento Estratégico, Posts de Hélio Rocha, Qualidade de Vida, Tendências

Capturar

Seja qual for a sua área de atuação, a melhor maneira de se destacar no mercado é concorrer em valor, e não em preço: quem defende a teoria é Sandra Wear, fundadora das empresas The DocSpace Company e Atalum Wireless e colunista da Inc.

Para derrotar seus competidores sem precisar mexer nos preços, é necessário seguir três regras básicas:

Regra 1: Transforme seu público-alvo no seu melhor amigo.

Leia mais clicando aqui »

Categorias: 1-Gestão Estratégica, 3-Gestão pela Qualidade, Dica de Leitura, Momento de Reflexão, Posts de Hélio Rocha

« Posts anteriores