profissionalizarUm congresso internacional de administração me fez ver que não existe no idioma inglês uma tradução para o termo brasileiro “profissionalização”. Isso indica que esse vocábulo de fácil trânsito não passa mesmo de uma confusão semântica, pois ao tentar explicar tudo acaba não tendo precisão. Senão vejamos.

Profissionalização é o processo pelo qual uma organização familiar ou tradicional:

  1. Assume práticas administrativas mais racionais, modernas e menos personalizadas;
  2. É o processo de integração de gerentes contratados e assalariados no meio de administradores familiares;
  3. É a adoção de determinado código de formação ou de conduta num grupo de trabalhadores (exemplo: artistas);
  4. É a substituição de métodos intuitivos por métodos impessoais e racionais;
  5. É a substituição de formas de contratação de trabalho arcaicas ou patriarcais por formas assalariadas.

Na empresa familiar, profissionalização implica em três pontos básicos:

  1. O sucesso em integrar profissionais familiares na Direção e na Gerência da Empresa;
  2. O sucesso em adotar práticas administrativas mais racionais;
  3. O sucesso em recorrer à consultoria e à assessoria externas para incorporar sistemas de trabalho já exitosos em empresas mais avançadas ou recomendadas nas universidades e nos centros de pesquisa.

Por mais acurado que seja o planejamento dessa profissionalização, os novos profissionais deverão ser integrados paulatinamente e com cuidado, sendo que cada erro é um reforço ao sistema anterior.

Leia mais clicando aqui »

Categorias: 1-Gestão Estratégica, 4-Gestão de Pessoas, Coaching, Empresa Familiar, Formação de Líderes, Gestão de Carreira, Planejamento Pessoal / Profissional, Posts de Sandra Regina Inácio

126437542851PC0pÉ triste ver o propulsor de uma empresa familiar com a visão da imortalidade. Não querem fazer processo sucessório, não querem se aposentar, não tiram férias, não tem lazer, seu corpo, coração e alma estão dentro da empresa.

Ela é o ar que ele respira e também sua vida.

Geralmente não delegam… pois têm a certeza que ninguém fará melhor que eles, também por isso não existe vida fora da empresa.

Quando perguntamos por que ele se “escraviza” dentro de sua empresa, a resposta é nós sabemos décor: “faço todo este sacrifício pela minha família, não é para mim e sim para eles”.

A resposta é sempre a mesma, mas também sabemos que a empresa na realidade é sua vida, sua alma… e também quando sua vida terminar, a empresa com certeza terminará com ele.

Leia mais clicando aqui »

Categorias: 1-Gestão Estratégica, 4-Gestão de Pessoas, Coaching, Empresa Familiar, Formação de Líderes, Gestão de Carreira, Momento de Reflexão, Nossas Alianças Estratégicas, Posts de Sandra Regina Inácio, Psicologia Organizacional